terça-feira, 6 de julho de 2010

REPERTÓRIO CLÍNICO HOMEOPÁTICO - B






BAÇO, AFECÇÕES

Capsicum, Ceanothus, China, Grindelia, Natrum muriaticum, Quercus, Solidago, Urtiga urens.

Dor e hipertrofia –
CEANOTHUS 1 CH, 3 gotas 4 a 5 vezes por dia.

Agulhadas na região do baço, pontadas de lado –
AGARICUS MUSCARIUS 3 CH, 3 gotas 4 a 5 vezes por dia.

Dor no baço em enfermos com gota –
URTICA 4 DH, 3 gotas 3 a 4 vezes por dia.

Afecções do baço acompanhadas de vertigem –
QUERCUS 3 DH, 3 gotas 4 a 5 vezes por dia.





BALANITE


Mercurius.

MERCURIUS SOLUBILIS 6 CH, 3 gotas 3 vezes por dia.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Traumeel S – gotas
Abropernol N - gotas





BARBA


PÚSTULAS –
HEPAR 6 CH, 3 gotas 3 vezs por dia.

IMPINGEM –
CALCAREA CABONICA 30 CH, 3 gotas 4 vezes por dia.
Se não produzir efeito,
RADIUM BROMATUM 30 CH, 5 gotas 1 vez por semana.





BASEDOW, DOENÇA DE


Belladonna, Cactus, Calcarea carbonica, Ferrum, Fluoricum acidum, Glonoinum, Iodum, Rauwolfia, Thyroidinum.





BATIMENTO DAS ORELHAS

Cannabis indica.





BERIBÉRI (DEFICIÊNCIA DE TIAMINA)


Arsenicum album, Elaterium, Rhus toxicodendron.





BEXIGA


INFLAMAÇÃO DA BEXIGA –
CANTHARIS 4 DH ou 5 CH, 3 gotas 4 ou 5 vezes por dia, ou em consonância com o incómodo dos sintomas.
CANTHARIS é um medicamento consagrado nas inflamações do trato urogenital – bexiga, rins e ovários.





BEXIGA IRRITÁVEL

PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Berberis-Homaccord – gotas
Reneel – comprimidos
Cantharis compositum S





BIPOLAR, DOENÇA


PROTOCOLO –


IGNATIA 200 CH, 5 gotas duas vezes por dia;
AURUM METALLICUM 200 CH, 5 gotas duas vezes por semana, desde que o paciente esteja na fase depressiva.
Se estiver na fase de mania, HYOSCIAMUS 6 CH, 5 gotas duas vezes por dia.
Se apresentar violência: STRAMONIUM 6 CH, 5 gotas duas vezes por dia.





BLEFARITE


Abies, Argentum metallicum, Euphrasia, Graphites, Mercurius, Pulsatilla, Staphysagria, Sulphur.

CLEMATIS 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.

HEPAR SULFUR 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Oculoheel – comprimidos
Sulfur-Heel – comprimidos
Traumeel S - gotas





BLENORRAGIA


Aconitum, Argentum nitricum, Cannabis sativa, Cantharis, Capsicum, Clematis erecta, Hydrastis, Medorrhinum, Mercurius, Pareira brava, Petroselinum, Psorinum, Pulsatilla, Selenium, Sepia, Silicea, Sulphur, Thuya.

MEDORRHINUM 12 DH, 3 gotas 2 vezes por dia.





BLENORRAGIA CRÓNICA


Abies canadensis, Pulsatilla, Sepia, Thuya.

MEDORRHINUM 12 DH, 3 gotas 2 vezes por dia.





BOCEJO


Frequente, sem sono –
ACONITUM 3 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.

Frequente, à noite, sem sono –
ARNICA 3 CH, 3 gotas de 3 em 3 horas.

Depois de jantar –
LYCOPODIUM 6 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.

Depois de comer –
Ao acordar –
NUX VOMICA 5 CH, 3 gotas de 3 em 3 horas.

Frequentes, espreguiçando-se, com sono, como se não tivesse dormido à noite –
CHELIDONIUM 3 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.





BÓCIO


Ignatia, Iodum, Lachesis, Lycopus, Natrum muriaticum, Spigelia.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Strumeel – comprimidos
Strumeel forte N - gotas







BORBORISMOS


Haematoxyl.





BRADICARDIA


Abies nigra, Apocynum, Digitalis, Gelsemium, Kalmia, Opium, Sepia, Stramonium, Veratrum viride.





BRIGHT, MAL DE


Apis, Arsenicum, Mercurius corrosivus, Natrum muriaticum, Phosphoricum acidum.





BRONCOPNEUMONIA


Aconitum, Antimonium tartaricum, Arsenicum album, Arum triphyllum, Belladonna, Bryonia, Ferrum phosphoricum, Ipecacuanha, Lycopodium, Phosphorus, Pulsatilla, Sulphur, Tuberculinum, Veratrum viride.

BRONCOPNEUMONIA SENIL
DIGITALIS 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Aconitum-Homaccord – gotas
Bryaconeel – comprimidos
Traumeel S - gotas





BRONQUIECTASIA


Antimonium tartaricum, Calcarea carbonica, Hepar sulphur, Kalium bichromicum, Kalium carbonicum***, Pulsatilla, Silicea, Stannum.

PROTOCOLO –


CALCAREA CARBONICA 200 CH, 5 gotas duas vezes por dia;
IPECA 30 CH, 5 gotas duas vezes por dia – na presença de mucosidades.
HEPAR SULFUR 6 CH, 5 gotas duas vezes por dia – na presença de tosse seca.

Se a bronquiectasia for acompanhada de hemoptise – BRYONIA 30 CH. No entanto, a repetição deste medicamento agrava a hemoptise. Para que tal não aconteça, deve ser ministrado com ACONITUM 200 CH – de 3 em 3 horas se necessário.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Bronchalis-Heel – comprimidos
Droperteel - comprimidos





BRONQUITE


Aconitum, Ammonium carbonicum, Antimonium tartaricum, Baryta carbonica, Belladonna, Bryonia, Carbo animalis, Causticum, Ferrum phosphoricum, Hepar sulphur, Hydrastis, Ipecacuanha, Kalium bichromicum, Kalium carbonicum***, Lycopodium, Mercurius, Pulsatilla, Rumex, Sanguinaria, Senega, Spongia, Sulphur.

ARSENICUM ALBUM 6 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.

ASSOCIADA A ALTERAÇÕES CIRCULATÓRIAS –
AMMONIUM CARBONICUM 4 DH, 3 gotas de 3 a 5 vezes dia.

FÉTIDA –
COPAIVA 4 DH, 3 gotas de 3 a 5 vezes por dia.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Bronchalis-Heel – comprimidos
Droperteel – comprimidos
Tartephedreel - gotas





BRONQUITE ASMÁTICA

MOSCHUS 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.





BRONQUITE ASMÁTICA (TIPO) – COMPLEXO – TRATAMENTO HOMEOPÁTICO
COMPLEXO – (os medicamentos são preparados e ministrados no mesmo frasco)


ADRENALINUM;
BELLADONNA;
EPHEDRA;
IPECA;
LOBELIA;
SOLIDAGO;
STRAMONIUM.
Todos os medicamentos em 4 DH - os que não se conseguirem em 4 DH » 8 DH.

3 gotas várias vezes ao dia em função da gravidade da patologia, espaçando-se em função das melhorias.

Como preventivo – 3 gotas 3 vezes por semana.





BRONQUITE BASAL


EUPATORIUM PERFOLIATUM 4 DH, 3 gotas de 3 a 5 vezes por dia.





BRONQUITE CRÓNICA


Ammoniacum, Arsenicum album, Senega, Sulphur.

COCCUS CACTI 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.





BRONQUITE SENIL


Com insuficiência cardíaca crónica –
ANTIMONIUM TARTARICUM 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.

DIGITALIS 4 DH, 3 gotas 3 vezes por dia.





BRUXISMO


CINA 200 CH, 5 gotas à noite.





BURSITE


Benzoicum acidum, Ruta, Silicea.


PROTOCOLO –MEDICAMENTOS COMPLEXOS
Traumeel S – gotas
Arnica-Heel NP – gotas




JOSÉ MARIA ALVEShttp://www.homeoesp.org
http://www.josemariaalves.blogspot.com


9 comentários:

  1. Olá,

    Lycopodium serve para tratar bronquite asmática?
    Minha filha toma esse remédio como remédio de fundo,porém gostaria de saber se ele vai tratar sua bronquite também?
    Atenciosamente,

    Mércia

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Mércia

    O Lycopodium é um medicamento que tem uma acção ampla, uma das mais amplas em Homeopatia. Não obstante, não seja comumente indicado na BRONQUITE ASMÁTICA por homeopatas da escola Pluralista (francesa), é-o na BRONQUITE.

    Se se tratar efectivamente do simillimum da filha, pode estar certa, que no entanto agirá.
    O remédio, aí, mesmo que não cure a doença específica, cura o paciente no seu todo.

    Um abraço.

    Zé Maria Alves

    ResponderEliminar
  3. VENHO POR MEIO DESTA AGRADECER PELOS ESCLARECIMENTOS NO SITE,A PEDIATRA DO MEU FILHO PASSOU ALGUNS MEDICAMENTOS QUE TIVE DÚVIDAS E GRAÇAS AO SITE CONSEGUI TIRAR ESSAS DÚVIDAS.

    ResponderEliminar
  4. Serviço publico de relevancia mundial. Grande Cidadão do mundo: Dr. José Maria Alves!

    ResponderEliminar
  5. Bem Haja Fran, pelas suas palavras.

    Mas, julgo que não. O que faço é muito pouco.
    Este mundo de sofrimento necessita da acção de todos nós.

    Eu sou apenas a "gota incógnita" no Mar da Vida.

    Um abraço.

    Zé Maria Alves

    ResponderEliminar
  6. Concordo com Fran Cabral, seu site é de utilidade pública. Deus o abençõe.

    ResponderEliminar
  7. Bem Haja

    Mas não exageremos.
    Estes comentários fazem-me inchar o "ego" (estou a sorrir).
    E o que nós necessitamos, se queremos atingir a Paz, é de o exterminar.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Boa noite! Gostaria de saber se (Arum Triphyllum) é bom para cantores, professores e outros profissionais que usam a voz? Como devo mandar fazer e como devo tomar? Há contra-indicações? Muito obrigada desde já! Rivia Bonadia- Sorocaba/SP

    ResponderEliminar
  9. Boa noite Amiga

    Segue uma passagem em espanhol da patogenesia do medicamento que refere:
    (...)
    Ronquera crónica por abuso de la voz; la voz se corta cuando intenta cantar o hablar en un tono elevado. Voz ronca, incierta, incontrolable, chillona o gritona, cambia de golpe continuamente; peor por hablar o cantar; en predicadores, oradores, cantantes, actores. Afonía completa por cantar (Arg.N., Caust., Phos.) o por exponerse a vientos fríos (Acon., Hep.). La tos le hace doler la laringe y tráquea.
    (...)

    Caso se adapte ao seu caso, faça aos primeiros sintomas, ou a título preventivo 3 dias antes dos espectáculos, 6 CH, 3 gotas de 3 a 5 vezes dia.

    Um abraço.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.